Show Ney Matogrosso em São Luís
Dia 02 de Maio 2009 - Sábado às 21h
Onde: Centro de Convenções (Multicenter Sebrae)

Preço dos Ingressos:
R$ 120

Informações:
(98) 8127-3797
(98) 8402-7463
 



Sobre o Evento:

Consagrado como um dos grandes intérpretes da Música Popular Brasileira (MPB), o cantor Ney Matogrosso é a próxima atração que a Central de Eventos e o Marafolia trazem a São Luís. O show acontece no próximo dia 2 de maio no Centro de Convenções Governador Pedro Neiva de Santana, no Cohafuma.  Os ingressos são limitados e já estão à venda na Central da Folia no Jaracaty Shopping, no valor de R$ 120,00 à vista ou nos cartões Mastercard, Hiper e Visa em 2 vezes sem juros. Mais informações pelo telefone (98) 3221-0120.  A turnê "Inclassificáveis" já foi assistida por mais de 500 mil pessoas de várias cidades brasileiras e do exterior. O nome do show foi escolhido para homenagear uma música de autoria de Arnaldo Antunes. O novo espetáculo tem uma roupagem que vai desde a vanguarda, pop, rock, samba tradicional e reúne composições próprias, de artistas renomados e da nova safra de compositores, entre eles Cazuza, Frejat, Lobão, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Arnaldo Antunes, Marcelo Camelo, de Los Hermanos, Dan Nakagawa e Jorge Drexler, uruguaio que ficou conhecido no Brasil depois de ganhar o Oscar de melhor canção com "Al Otro Lado del Río", entre outros.  A direção musical é de Emílio Carrera, ex-integrante do grupo Secos e Molhados. Matogrosso abre o espetáculo com "O Tempo Não Pára" e termina com "Pro Dia Nascer Feliz", sucessos de Cazuza. No repertório, estão incluídas também canções como "Por que a Gente É Assim?", "Seda" (letra inédita do compositor que ganhou arranjos de Lobão), Divino e Maravilhoso (Caetano Veloso), Um Pouco de Calor (Dan Nakanawa), Ouça-me (Itamar Assunção).  No palco, ele estará acompanhado dos músicos Carlinhos Noronha (baixo), Júnior Meirelles (guitarra e violão), Sérgio Machado (bateria), Emílio Carrera (piano e teclado), DJ Tubarão (percussão e pick up) e Felipe Roseno (percussão). o espetáculo tem uma.

A turnê:
 A tour “Inclassificáveis” representa um novo momento nos mais de 30 anos de uma carreira consolidada e admirada por fãs em todo o Brasil. Ney Matogrosso incorpora o que canta e continua sendo um dos grandes gênios da MPB, sempre audacioso em suas criações. O show mais uma vez retrata a personalidade do cantor com muita diversidade e beleza. O figurino fica por conta de Ocimar Versolato, que já trabalha com Ney há quase 10 anos, e o cenário é de Milton Cunha. O cantor aparece em cena com um macacão dourado feito com 40 mil micropaetês presos à mão. O figurino, o cenário e a iluminação são dignos do artista que ganhou fama por suas performances extravagantes no palco. Os temas variaram do indiano ao indígena, com as cores fortes como o laranja, o amarelo e o vermelho. Da mesma forma, o figurino dourado, é trocado em cena várias vezes durante a apresentação, remetendo o público a conhecer mais da fortuna e riqueza da tradição e cultura tanto indígena como a indiana. No cenário, cortinas ao fundo do palco que se modificam ao longo do show, oferecendo dinamismo e identidade às músicas.

Trajetória 
Um dos mais versáteis e criativos cantores do Brasil, Ney de Souza Pereira nasceu em 1º de agosto de 1941, em Bela Vista, no Mato Grosso do Sul, fronteira com o Paraguai. Desde cedo, demonstrava vocação para o canto, pintura e interpretação. Ainda pequeno, escolheu o caminho do questionamento, das reticências do mundo adulto, inconformado com seus preconceitos e incoerências. Até completar 17 anos, sua família morou, além de Bela Vista, no Recife, em Salvador, no Rio de Janeiro e em Campo Grande. Quando deixou a casa para entrar na Aeronáutica, ele ainda não tinha idéia do que faria de sua vida. Gostava de teatro e cantava esporadicamente, mas acabou indo trabalhar no laboratório de Anatomia Patológica do Hospital de Base de Brasília, a convite do primo. Tempos depois, passou a fazer recreação com crianças. Nessa época, foi convidado a participar de um festival universitário e chegou a formar um quarteto vocal. Depois do festival, fez de tudo um pouco, até atuou em um programa de televisão. Atrás deste sonho, desembarcou no Rio de Janeiro e em 1970 foi convidado para ser vocalista do grupo Secos e Molhados, que estourou pelo Brasil de ponta a ponta e também em vários países. Em agosto de 1974, Ney deixou o grupo, e em março de 75 já estava estreando seu show no Rio de Janeiro, no Teatro do Hotel Nacional. A partir daí montou uma banda fantástica e deu início a carreira de sucesso com o show "O Homem de Neanderthal".Em sua trajetória musical, o cantor já gravou 32 CDs e tem produzido oito DVDs.

Onde Tem Ney, Tem Kamaleao!

Comentar

<%PostCommentPage%>
OBS.: Para receber notificação de cada atualização o siga o Kamaleao no Facebook e no Twitter @Kamaleao
Todos os Eventos Anterior · Próxima