Castelo Dovera - Araçagy

Whatsapp
  
  Atualizado em 21/01/2016
 


Castello Dovera

Castelo Medieval na Praia do Araçagy - São Luís



Festa Majestic no Castelo Dovera

Dia 22 de Janeiro 2016 - Sexta
Onde: Castelo Dovera (Ponto Final da Praia do Araçagy)

Descrição:

Uma Festa Temática no estilo Medieval com Performances de um Grupo de Teatro regido por Urias de Oliveira, utilizando Figurinos de Época. Atmosfera Medieval e Performances relacionadas ao tema compõe um cenário deslumbrante e inesquecível. O clima da Realeza, os trajes e costumes da época, unidos a vanguarda da Música Eletrônica proporcionam um Ambiente Lúdico e Excitante. Por ser uma propriedade particular e possuir um Belo Jardim, com escadarias e inúmeras esculturas, os ingressos serão limitados.


Line-UP - Atrações:
22h00 - DJ Jorge Choairy
DJ Elvys Monte
The Jums
DJ Neiva Music

COMO CHEGAR:
Siga pelo asfalto até o final da Praia do Araçagi e dobre à direita. Não será necessário por o carro na praia.

SEGURANÇA:
Haverá Seguranças dentro e fora do Evento, além de Flanelinhas conhecidos que nos seguem em todas as Festas.

ROUPAS:
VISTA-SE NORMALMENTE. NÃO É NECESSÁRIO O USO DE FANTASIAS, EXCETO POR LIVRE E ESPONTÂNEA VONTADE. ESTE EVENTO TEM QUALIFICACÃO CULTURAL E O NÚMERO DE INGRESSOS É LIMITADO EM FUNÇÃO DO ESPAÇO EXISTENTE.

Preço de Ingressos:
2º Lote
Masculino - R$ 70,00
Feminino - R$ 50,00

CAMAROTE:

Masculino 120,00
Feminino 100,00

Locais de Vendas:
Bilheteria Digital - (98) 3015-3017
Lacoste Holandeses - (98) 3227-8289

Realização:
Piquet Produções 




A Hitória do Castello Dovera:

Foi contruído em 1978 pelo Italiano Cherubino Luigi Dovera, ex-capuchinho na praia Na Praia de Araçagy. O arquiteto e escultor, ergueu um castelo medieval com torres e pontes elevadiças, onde morava com a mulher e seis filhos. Morar num castelo medieval, em São Luís do Maranhão, é uma extravagância que satisfaz duplamente seu morador: pela residência, em si, e pelo ideal concretizado: "Eu sonhava fazer alguma coisa extraordinária na vida", revela Luigi Dovera de 74 anos, 45 de Brasil. Ele não só fez esta, como outras coisas incomuns: voltou ao Brasil no porão de um navio, depois de expulso pelos frades capuchinhos, ordem à qual pertenencia, e casou com Olga, antiga paixão platónica, com quem gerou seis filhos. Dovera, cabelos brancos, corpo franzino e fala mansa, senta todas as tardes para contemplar o mar. Admirador do período medieval, o escultor e arquiteto italiano escolheu uma das praias mais bonitas de São Luís - a Praia do Araçagy, a 18 quilômetros do centro da cidade - para construir, entre dunas e vegetação ainda selvagem, o castelo onde mora com a família, cercado por símbolos das mitologias grega e romana. A obra, de 300 metros quadrados, transformou-se em uma das maiores atrações da capital maranhense, poderia ser visitada por uma taxa simbólica (200 cruzeiros por pessoa nos anos 90). Apesar de iniciada em 1978, com orçamento de 1,2 milhão de cruzeiros, até 1991 o projeto ainda não tinha sido totalmente concluído. Luigi que usou todas as economias da família. Naquela época a parte interna do castelo ainda era extremamente simples: 4 quartos pequenos, uma varanda, copa, cozinha, salão de exposicão com uma piscina, onde fica a estátua do deus Netuno. 




Como surgiu a idéia:

Construir um Castelo Medieval nas dunas de um sítio onde a família costumava passar os fins de semana, surgiu de um desejo da filha Gabriela quando tinha 4 anos. Ela viu uma Biga romana (carro de duas ou quatro rodas puxado por dois cavalos) num filme de televisão e pediu ao pai, escultor da maioria dos bustos espalhados pelas praças de São Luís que lhe construísse um brinquedo semelhante. Dovera foi mais longe: não só construiu a biga, confessadamente uma de suas obras mais difíceis, mas também um castelo com carruagens, torres redondas, deuses romanos, pontes elevadiças e até um escudo de guerra. O ex-capuchinho fez praticamente tudo sozinho. Logo na entrada, o escudo da família mostra a cabeça de uma medusa (animal mitológico com múltiplos tentáculos), e os fundadores de Roma, Remo e Rómulo. Apesar de gosto e ofício tão refinado, o escultor leva vida modesta cercado por galinhas, pés de coco e bustos de personalidades que esculpe. "Diziam que eu era um maluco", lembra ele, confessando, porém, que os filhos não gostam de morar no castelo: além do assédio de turistas e curiosos, alegam estar meio longe do centro. Quem está fora pensa diferente: "Daria tudo para morar aqui", registrou no livro de visitas do castelo a menina Sandra de 11 anos. "Me senti a própria princesa, escreveu outra, Rejane. Até o ex-presidente José Sarney deixou anotada a sua admiração pelo artista em 1983. Dovera só não gosta muito de relembrar o passado, como frade capuchinho e sua expulsão da igreja. A mulher Olga, ao contrário, pretende transpor para um livro o atribulado romance nascido na década de 50, quando Dovera era o frei Vitorino de Milão, e Olga, sua aluna de latim na cidadezinha de Grajaú, no interior do Maranhão. Em uma das viagens do frei a Belém, Olga escreveu-lhe uma carta pedindo que trouxesse um dicionário. A carta, que nunca chegou a suas mãos, teria sido o motivo de uma briga com seus superiores, que o mandaram de volta à Itália. Quando Dovera voltou ao Brasil, já sem o hábito, o "caso" entre os dois revoltou a comunidade. O casal foi, então, morar no Rio de Janeiro. Mas voltou ao Norte, já com seis filhos, quando o arquiteto foi incumbido de restaurar o Teatro Arthur de Azevedo e o Palácio dos Leões. A família passou dois anos alojada no teatro, até alugar uma casa e comprar o sítio onde, mais tarde, seria construído o castelo.

Reportagem da Jornalista MARILDA MASCARENHAS para a Revista VEJA 28 GRAUS em 10 de ABRIL de 1991.
 

Doutora MARIA OLGA DUARTE DOVERA - OAB/MA  4274
(Proprietária do Castelo Dovera)

Comentar

<%PostCommentPage%>
Todos as Notícias Anterior · Próxima