Rinhas de Galo em São Luís

Arenas onde aconteciam Briga de Galos em São Luís





22/10/2016 - Policia desarticula rinha que acontecia no Olho D`Água

Uma operação policial realizada na noite do dia 21/10/2016 no Olho D`Água conseguiu estourar uma rinha, que é o nome dado ao local onde é promovida briga de galo, a prática  é considerada ilegal. A operação foi coordenada pela Delegacia de Meio Ambiente, que tem como titular a delegada Bianca Almada e contou com a participação de policiais da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), Superintendência de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP), Superintendência de Policia Civil da Capital (SPCC), Icrim e Secretaria de Meio Ambiente do Estado. O proprietário da rinha foi multado em 500 Mil reais. Os animais foram apreendidos e os galos estavam bastante feridos. Na ocasião mais de 100 pessoas foram detidas, todas prestaram esclarecimentos e foram liberadas.

 



RINHA CLUBE DE GALO - João Paulo (Anos 80)

Antes de ser proibida no país, a prática da briga de galos era uma forma comum e esdrúxula de entretenimento entre a classe média e alta da sociedade ludovicense. Entre tantos clubes dessas disputas existiu, na Estrada da Vitória, bairro do João Paulo, o Rinha Clube de Galo, onde muitos animais sofreram nessas contendas em prol de um mercado de apostas de mais de 80 sócios. O Sr. Aníbal Bessa hoje com 89 anos mora em Monte Castelo Av Luís Rocha foi sócio desta Rinha foi criador de galos de briga ,seu pai Sr.Asdrubal Bessa teve Rinha no Sítio do Bessa em Monte Castelo ,teve vários galos campeões.



25/09/2014 - VIDEO - Polícia Federal estoura Rinha de Galo no Vinhais

A polícia estourou dia 25/09/2014 um cativeiro com mais de 250 galos usados em briga no bairro do Vinhais, em São Luís. O local estava funcionando nos fundos de uma loja de material de construção. Agentes da Delegacia do Meio Ambiente também estiveram na operação para investigar a situação de maus-tratos sofrida pelos animais. O dono casa e seu advogado compareceram à Delegacia do Vinhais para prestar depoimento. De acordo com o Art. 32. da Lei 9.605/98, que dispõe sobre as penalidades para crimes contra o meio ambiente, a pena para quem praticar ato abusivo, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, é de detenção, que varia de três a um ano de prisão, e multa.


Proibição:
- As rinhas foram proibidas em 1934 no governo de Getúlio Vargas.
- Em 1941, passaram a ser consideradas contravenção penal. 

Direitos dos Animais:

A Declaração Universal dos Direitos dos Animais, proclamada em 1978 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, abomina toda forma de maus-tratos (artigo 3º) e a exploração de animais para divertimento do homem (artigo 10º). Estes princípios internacionais motivam a luta do direito contra práticas muitas vezes tidas por culturais e, como no caso das rinhas, alvo de proibições e campanhas para sua denúncia.


Comentar

<%PostCommentPage%>
OBS.: Para receber notificação de cada atualização o siga o Kamaleao no Facebook e no Twitter @Kamaleao
Todos os Eventos Anterior · Próxima